É isso.

Te conheci.
E pela beleza da inocência achei que seria apenas mais uma a passar pela minha vida.
Até te encontrar.
E você sabe, já te narrei inúmeras vezes o que eu senti aquele dia.
A partir dali eu jamais conseguiria ser a mesma pessoa.
Te ter por perto era sentir minha pele desgrudando da carne.
Eu nunca vou conseguir descrever a sensação de saber que você estava pensando em mim.
Eu nunca vou conseguir descrever a sensação de saber que você não pensa mais em mim.
Dia desses tomei coragem de deletar todas suas fotos e vídeos do meu celular
na esperança de te apagar de mim.
Dia desses quase apaguei todas músicas que te fiz, na tentativa frustrada de te fazer sumir.
Adiantou? Não, senão eu não estaria aqui escrevendo pra você uma coisa que jamais irá ler.
Dá primeira vez tu levou contigo um pedaço de mim.
Dessa vez tu levou outro pedaço. Maior.
Na real você não sabe o quanto eu te queria inteira comigo.
Eu inteira.

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Sorine da criatividade.

De uns tempos pra cá eu ando me sentindo entupida.
Andei conversando com um amigo da faculdade e ele disse que ta sentindo a mesma coisa, então chegamos a conclusão de estamos ~criativamente entupidos~.
Aí cê me pergunta “ô Amanda, que porra é esta, minha filha?” e eu lhe respondo que é a sensação de querer produzir algo artístico repleto de sentimentos, mas esses sentimentos estão tão enfiados nas suas entranhas que você não consegue descrevê-los, daí rola a dificuldade de descriptografar essa mensagem e introduzi-la semioticamente em algo (inclusive textinhos com duplo sentido, mas não é o caso no momento, pois ainda me sinto entupida).

Ora, sou uma estudante de design gráfico, era pra isso ser fácil! Certo?
ERRADO! A minha cabeça não para de pensar enquanto meu corpo não para de sentir.
É difícil dormir e é difícil me concentrar. Conclusão: eu fico aqui na frente do computador igual uma retardada. Abro 30 mil abas do nada e as fecho do mesmo jeito que abri.

Enquanto isso meu cérebro fica louco fazendo várias conexões involuntárias, então do NADA me vem algo na cabeça que me faz ficar paranoica ou então um desejo incontrolável de desenhar que some imediatamente na hora em que eu vejo uma folha em branco.

Eu acho que não tem cura mesmo não.
Meu primo tava certo o tempo inteiro.
Meu destino é ser internada no Juqueri pagua.

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

A incrível arte do pessimismo.

Pense em cinco certezas sobre a sua vida.
Pensou?
Amigo, sinto te dizer, mas unica certeza que existe é morte.
Essa palavrinha é como dar um tapa e depois fazer carinho, sabe?
Num dia você tem certeza de tudo e no outro seu mundo cai.
É por isso que eu digo que todo mundo devia ser pessimista.
Ser pessimista não significa sempre pensar no pior, significa nunca pensar no melhor.
Ser pessimista é nunca ter certeza.
Ser pessimista é levar uma porrada e fingir que não sentiu a dor.

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Não ouse negar o sonhador.

As vezes eu me pego pensando no destino da humanidade e penso: TAMO FODIDO, GALERO!
Eu não sei de quem é a culpa, não sei se o ser humano deixou de ser interessado no conhecimento ou se a mídia ~emburreceu~ as pessoas.

O engraçado é que hoje, mesmo com tanta informação disponível a todo tempo e acessível a todos, as pessoas parecem se importar menos com o que vale a pena e procuram sempre as coisas superficiais.

O ser humano se acha tão forte e inteligente que menospreza outras vidas e aos poucos vai acabando com tudo que existe de bom.

Eu vinha pensando nesse assunto desde que saiu da notícia do tigre que arrancou o braço do garoto e algumas pessoas queriam que o tigre fosse morto. Logo depois uma mulher postou em um grupo de cães que participo dizendo que seu Bull Terrier avançou em seu sobrinho e a mãe do garoto queria que ela doasse o cão para outra pessoa. Mas questão é: o garoto estava machucando o cão e a mãe simplesmente ignorou isso. As crianças de hoje estão sendo super mimadas por seus pais, o respeito não é ensinado, não vale a pena. Fazem birra quando querem alguma coisa, gritam, xingam, atacam e se acham donas da razão. Tenho medo do que essas crianças podem se tornar quando adultas. Tenho medo do que o mundo vai se tornar quando essas crianças forem adultas.

Confesso que ainda me surpreendo com esse tipo de reação ignorante das pessoas diante de algumas coisas, mas hoje depois de ler um comentário em um post no facebook sobre pescadores matando um tubarão, tive certeza de que as coisas não estão bem.

conversa tutu

É muito difícil mudar uma mente ignorante, quase impossível. Na verdade elas não querem ser mudadas, viver na ignorancia deve ser mais fácil, você não precisa se preocupar com nada, só precisa viver dentro do seu mundinho de egoísmo. Sendo assim, você não vai sentir seu peito doer toda vez que uma vida inocente morrer ou for torturada.

O sentimento de impotência daqueles que sonham em mudar algo é doloroso.

Seria muito ingenuo esperar alguma melhora?

Mais do que esperar, é fazer e acreditar.

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Infinito limitado.

Não sei vocês, mas eu acho a vida muito curta.
Ao mesmo tempo em que nós temos todo tempo mundo, não temos tempo nenhum e nem
sabemos se o mundo tem esse tempo todo.
Até porque esse “todo tempo do mundo” é um infinito limitado.
Além de curta, a vida é corrida.
Você nasce, vai tomando consciência das coisas e quando vê já tem que correr contra tudo, escolher uma carreira, trabalhar e conseguir dinheiro.
Eu queria ter mais tempo pra aprender tudo que tenho vontade.
Fazer várias faculdades e adquirir conhecimentos variados, ter a chance de conhecer outros mundos, lugares e histórias passadas. Saber um pouco mais de tudo e poder ajudar aqueles que precisam.
É um pouco (muito!) frustrante ficar pensando nessas coisas.

Eu só quero poder viver e não sobreviver dentro desse meu ~infinito limitado~.

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

before… NOW!

       É realmente MUITO estranho voltar aqui depois de quase dois anos e meio, e mais estranho ainda ~na verdade engraçado~ é ler meus textos antigos e pensar “eu era essa pessoa?”. A vida é realmente muito l0k4 e resolveu me dar 10 tapas na cara, principalmente nesses últimos meses e eu sou muito agradecida por isso.

       Sabe quando as coisas começam a tomar um rumo mesmo sem ter uma programação de vida? Quando você decide seguir o fluxo tentando estabelecer uma ordem, mas no seu jeito? Foi assim que eu encontrei meu caminho, na verdade ainda procuro, mas agora as coisas ficaram muito mais claras.

        Confesso que nos últimos cinco meses minha felicidade ganhou um nome, sobrenome, um pouco mais que um metro e meio de altura e algumas cores de cabelo.  Aconteceu de uma maneira tão aleatória, em um dia aleatório, em um lugar aleatório e no meio de vários rostos aleatórios eu reconheci o dela. Senti um frio na barriga e não entendi direito, afinal, nossa história não ia começar ali. Ela tinha raiva de mim e eu não tinha noção do que tinha feito, mas depois de algumas palavras trocadas (que só aconteceram graças a algumas doses de álcool, da minha parte) e de frases que eu jamais esquecerei, tive certeza de que a felicidade tava o tempo todo ali na minha cara (e eu totalmente idiota e cega) só enxergava o que me fazia mal.

          Esperar esse tempo todo valeu a pena. E a cada dia que passa eu tenho mais certeza disso.

          Antes eu escrevia sobre coisas que me deixavam agoniada, hoje eu tive vontade de escrever sobre felicidade, sobre ela (tipo sinônimo).

          A v1d4, ela é l0k4.

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

degrau de grau.

Eu passava o tempo todo reclamando da dor de cabeça, da vista ruim e do enjôo que dava.
Alguém me examinou, disse que eu precisava de você, e isso enquanto todos os outros diziam que era bobagem, que eu tava bem.

Depois de vários dias enrolando, resolvi ver como você era de verdade e se a gente combinava.
No começo eu fui meio tímida, mas logo depois percebi que você era o que eu precisava, e que a gente combinava até demais.

Depois de algum tempo as dores de cabeça voltaram junto dos pensamentos de: será que eu preciso mesmo disso?

A gente se afastou tanto que eu te perdi…

Juro que passei meses procurando algo igual, mas nada se comparou.

Daí cansei de procurar e acabei te achando.
Fiz um remendo e as coisas pareciam novas outras vez.
Voltei a enxergar.
Alguns dias depois você sumiu de novo.
Me deixou cega e cansada.
Deve ta quebrado por aí.

Mas agora eu me acostumei com a dor.

Quer saber?

Acha um rosto novo, porque eu já não consigo enxergar tão bem com essas suas lentes arranhadas.

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário